A biomassa causa impactos ambientais?

A biomassa causa impactos ambientais?

Embora o uso da biomassa para produção de energia limpa seja uma das práticas mais populares no Brasil e no mundo, muitos questionamentos são levantados acerca dos impactos ambientais que a biomassa pode causar quando usada de forma irresponsável. 

A biomassa nada mais é do que um termo genérico usado para designar o conjunto de substâncias orgânicas que podem ser transformadas em combustíveis renováveis, através do processo de decomposição de materiais orgânicos.

É justamente porque a biomassa é obtida através do processo de reciclagem de materiais orgânicos que seu uso se torna tão atrativo, já que resulta em uma redução significativa de poluição para o ambiente, na mesma medida em que oferece maior custo-benefício.

Mas e os possíveis impactos ambientais que a biomassa pode causar? São regra ou exceção? Bem, se quiser as respostas para tais questionamentos, confira no texto abaixo alguns detalhes sobre a biomassa, seus tipos, e os perigos que o uso irresponsável dessa técnica pode ter. Boa leitura!

Biomassa: herói ou vilão?

A biomassa conquistou o mercado energético em função de seus benefícios multilaterais: na mesma medida que emite gases menos tóxicos na atmosfera, seus processos de produção representam uma economia significativa em comparação aos demais insumos energéticos.

Entretanto, muitas companhias do ramo de produção energética focam apenas na parte que diz respeito à redução de custos, sem sequer considerarem os protocolos de segurança e procedimentos ecológicos, resultando em desastres ambientais expressivos.

Contaminação de solos, rios, desencadeamento de erosão, poluição do ar e chuvas ácidas são só alguns dos impactos ambientais possíveis em função do uso irresponsável da biomassa.

E isto é importante frisar: a biomassa não é inerentemente prejudicial para o ambiente. Inúmeros estudos apontam para usos promissores da biomassa na produção de energia, e a vasta maioria dos impactos ambientais catalogados se deram em função de negligência operacional.

Vale ressaltar que a biomassa, quando não obtida através de materiais orgânicos já marcados para descarte, necessita de grandes plantações (de milho e de cana-de-açúcar) que ofereçam matéria-prima para a produção de biodiesel, por exemplo. 

Portanto, um planejamento preciso e minucioso é necessário durante todos os estágios de obtenção de combustíveis através da biomassa, para que se garanta que nenhum desastre ambiental ocorra enquanto tentamos salvar o ambiente.

Quais são os tipos de biomassa?

A distinção feita entre biomassas é realizada em função dos tipos de materiais orgânicos usados na sua aquisição, contemplando desde lenha e carvão até eucalipto e bagaço de cana-de-açúcar.

Esses materiais — em sua maioria — seriam descartados e ganham novo uso ao serem transformados em biomassa, ou seja, a produção de biomassa é capaz de ser uma alternativa para o descarte indevido de materiais orgânicos, estimulando a reciclagem.

Assim, existem alguns métodos de obtenção de biomassa, dependendo da matéria-prima orgânica que está sendo usada. São alguns deles:

  1. Combustão direta: uma das técnicas mais clássicas, o material orgânico (geralmente madeira) é inserido em uma fornalha que transforma seus componentes químicos em energia térmica.
  2. Transesterificação: um método popular de obtenção de biodiesel e glicerina, a transesterificação consiste na reação química entre a biomassa, o etanol, metanol e o hidróxido de sódio.
  3. Fermentação: extremamente promissora, a fermentação de biomassa utiliza microrganismos capazes de transformar os açúcares do milho, por exemplo, em combustíveis como etanol e metanol.

A biomassa e a conjuntura ambiental brasileira

No Brasil, que é um dos líderes mundiais na produção de biocombustíveis, a biomassa naturalmente representa um dos principais componentes para a manutenção desse mercado no país, o que significa que todos os cuidados que foram apresentados neste texto valem em dobro.

O Brasil pode contribuir — e muito — para a redução na emissão de gases tóxicos para o meio ambiente, especialmente dentro do nosso território, que enfrenta níveis de desmatamento desenfreado nas últimas décadas. 

Diante disso, é preciso que as empresas façam uma análise completa dos prós e contras para o uso da biomassa em seus negócios, avaliar se disponibilizam de uma infraestrutura capaz de acomodar a sua produção e analisar a ecologia local para qualificar os possíveis impactos ambientais.

Se interessou sobre os promissores usos da biomassa no mercado energético? Temos muito mais conteúdos da mesma qualidade sendo publicados nas nossas redes sociais! Portanto, siga a Recimac nos nossos perfis do Facebook, Instagram e LinkedIn!

Receba nossas
novidades em seu email

    Recimac © 2022 - Todos os direitos reservados.Desenvolvido e otimizado por WEBi