Resíduos Sólidos Urbanos (RSU): operações de pré-tratamento

Resíduos Sólidos Urbanos (RSU): operações de pré-tratamento

As ações dos seres humanos impactam, e muito, no meio ambiente. Por isso, é muito importante que sejam tomadas medidas para reduzir esse impacto. A boa notícia é que a Recimac tem como um dos seus principais objetivos atuar nesse setor, oferecendo tecnologias para o tratamento de diferentes Resíduos Sólidos Urbanos (RSUs). 

E hoje, vamos falar um pouco mais sobre as operações de pré-tratamento dos RSUs. Continue lendo para saber mais!

O que são Resíduos Sólidos Urbanos

Os RSUs ou Resíduos Sólidos Urbanos são os resíduos gerados a partir de atividades urbanas, como doméstica, industrial, hospitalar e comercial. Assim, o que sobra de determinado produto é considerado como resíduo, devendo ser corretamente destinado para não causar problemas para o meio ambiente. 

Exemplos de RSUs: 

Pré-tratamento dos Resíduos Sólidos Urbanos

Em muitos casos, é necessário que o resíduo seja previamente tratado antes de ser destinado a um fim adequado. Assim, conforme o Art. 9° da Lei 12.305/2010, 

“Poderão ser utilizadas tecnologias visando à recuperação energética dos resíduos sólidos urbanos, desde que tenha sido comprovada sua viabilidade técnica e ambiental e com a implantação de programa de monitoramento de emissão de gases tóxicos aprovado pelo órgão ambiental”. 

Nesse sentido, as operações de pré-tratamento dos Resíduos Sólidos Urbanos incluem:

Tratamento mecânico

Nessa operação, ocorre uma transformação no tamanho da partícula ou separação dos resíduos. Desse modo, o processo não se dá quimicamente, como veremos adiante em outras operações. 

A reciclagem, de maneira geral, é o setor que mais utiliza o tratamento mecânico. Nesses casos, é feito, por exemplo, a separação de substâncias, a redução ou mesmo a aglomeração de partículas. 

Tratamento bioquímico

Aqui, o tratamento dos Resíduos Sólidos Urbanos se dá pela presença de microrganismos que realizam uma transformação, química ou biológica, na matéria dos resíduos. Ao quebrar as moléculas desse material, ocorre a mudança, favorecendo o descarte desses produtos. 

O exemplo mais comum é a compostagem, em que matéria orgânica é decomposta na presença de oxigênio. Além disso, os procedimentos de biodigestão, e, que a decomposição ocorre sem a presença de oxigênio, também fazem parte das ações de pré-tratamento bioquímico. 

Tratamento térmico 

Outra operação é o tratamento térmico. Nesse procedimento, os Resíduos Sólidos Urbanos são submetidos a temperaturas específicas que alteram suas características e propriedades. Assim, o descarte se torna menos nocivo. 

Um exemplo bem conhecido é a incineração, que utiliza temperaturas muito altas (entre 850 e 1300°C) para oxidar a matéria orgânica. Outros exemplos são a secagem, a gaseificação, a pirólise e o plasma. 

Em todos esses procedimentos, é importante utilizar as tecnologias adequadas. Por isso, a Recimac oferece soluções para o tratamento de diferentes tipos de resíduos. Entre em contato com a gente. Teremos o maior prazer em tirar todas as suas dúvidas. Aproveite também para se inscrever no nosso canal do Youtube.  

Fontes: 

LEI Nº 12.305, DE 2 DE AGOSTO DE 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm#:~:text=DISPOSI%C3%87%C3%95ES%20PRELIMINARES-,Art.,final%20ambientalmente%20adequada%20dos%20rejeitos. Acesso em 29 abr. 2022.  

Receba nossas
novidades em seu email

    Recimac © 2022 - Todos os direitos reservados.Desenvolvido e otimizado por WEBi